sábado, 8 de maio de 2010

Não haveria em outra manhã, tamanha felicidade.

     Com aquele olhar caído e atento, olhava sobre os montes sem sequer preocupar-se com o sol forte que ali desabrochava. Olhava para as nuvens, olhava para baixo, ninguém sabia ao certo o que estava acontecendo e nem o que aqueles olhos de cor caramelo com tamanho deslumbramento conseguiam avistar, mas pelo seu sorriso incomparável e único poderia-se dizer que era algo realmente que traria felicidade.
     Então começara a andar com passos calmamente desenhados e simétricamente estudados, descendo pelos montes cada vez com o passar de seus pés mais longos e rápidos.
     Joshua descera ao encontro de Rosette, sua irmã, que era sem dúvida uma das pessoas que mais lhe proporcionara amor. E Joshua com toda sua força deu um apertado abraço em Rosette... E Rosette que sempre tentava mostrar frieza, achara que poderia ficar ali sem dúvidas por muito tempo, e não importava o calor e nem tudo o que poderia estar acontecendo ao redor. Só de estarem abraçados já era sinal de que um tinha o outro e assim vice-versa, não importava tampouco as circunstâncias. Joshua instantes depois de dár um longo e apertado abraço em sua irmã mais velha, rodava velozmente com Rosette em seus braços, como se fosse um dos seres mais fortes, porém equilíbrio era algo que faltava em Joshua, então... Ele caiu, espatifando-se pelo chão entrelaçado com Rosette.
     Ao caírem, Rosette levanta-se e logo procura Joshua, e ao olhar por todas suas direções percebe que seu irmão não estava ali, Rosette grita encarecidamente por ajuda. Então escuta uma voz ecoar por um buraco, correndo até o determinado lugar encontra ali com os joelhos machucados seu irmão Joshua, o qual já estava recuperado de seus ferimentos depois de breves instantes.
     Ao analisarem bem o local onde Joshua estava, Rosette resolve descer... mesmo sabendo que talvez não pudesse voltar ou até mesmo resgatar seu irmão. Mas o que realmente valia pra ela no momento era salvar Joshua, e mostrar que realmente não temia nada. Ao descer, Rosette percebe que não estavam em um buraco qualquer e que tudo o que tinha nas paredes e pilastras, tudo indicava que os dois estavam em uma fortaleza subterrânea. Logo Rosette que havia estudado e tornado-se uma exorcista soube que se tratava de demônios pecadores, "decaídos".
     Joshua se mostrava com muito medo, e isso era algo explicito em seu rosto com aqueles grandes olhos e seu pouco cabelo loiro... que conseguiam se bater ao sentir o tremor de seu corpo. Então Rosette andou até encontrar uma porta com finalidade de saída... e ao encontrar a primeira porta antes de colocar sua mão sobre ela a porta abre, sem nenhuma expressão. Joshua e Rosette param por um instante.
     Rosette tem convicção de que há um demônio ali dentro, mas toda sua coragem não deixa amedrontar. Rosette como que sem perceber abre a porta, e uma luz acende vinda direta da imagem (Mãe de Jesus). Rosette que tinha um coração muito bom, vê ali um garotinho no qual ela não teria idéia de que era um demônio e que muito menos futuramente tornarse-á um exorcista da ordem de Magdala.
     Rosette que mostrava uma voz suave, cabelos loiros e olhos castanhos muito claros, portava armas e um vestido de uma irmã (freira), não aparentava tamanha ligação com a ordem de Magdala, por isso o pequeno jovem não teve tanto medo. Rosette pergunta então: Qual é o seu nome pequeno garoto ?
- C-c-chrno. (Chrno mau tinha forças para dizer aquela linda exorcista qual era seu nome, e o que ele realmente era (...). Então posicionou seu olhar somente à ela e aos seus olhos, os quais conseguiam prender aquele demônio e parou por um instante.

Continua... Tic, Tac, Tic, Tac (...)

domingo, 2 de maio de 2010

Evolution.

     Mesmo que tudo não estivesse caminhando para o caminho certo, pelo menos o que eu achava que era certo, eu consigo me sentir bem melhor agora.
     Não importa o que aconteça e nem o quão seja difícil para melhorar à situação... mas se pode ter certeza que tudo, tudo melhorará um dia. Após terem acontecido vários fatos/agravantes na minha vida, e depois de todos os posts tristes e tudo o que sentia de mau, estão começando a melhorar e eis aqui um post digno de ânimo. 
     Existem coisas boas e ruins na nossa, vida. Todos tem problemas e isso é algo inevitável. Não importa o quão você esteja bem hoje, amanhã você pode estar bem mau, e talvez se você estiver muito mau em um piscar de olhos você pode se sentir bem com algo que era pra ter ido para o seu mau, ou não.
     Eu nunca tapei meus ouvidos para verdades e não seria agora que eu iria o fazê-lo, e então escutei calmamente. Para ser mais preciso eu li, li tudo o que tinha pra ser lido. Confesso que chorei muito... mas na minha concepção não tem algo melhor do que chorar quando está triste. Consegui entender então, que eu nem sempre estive certo e que todo o egocentrismo que havia em mim, não era nada bom e que enquanto eu não acabar com isso... Eu não vou conseguir melhorar tudo o que eu preciso.
     Sei bem, que eu não sou tão bom assim... Quanto tantas pessoas insistem em me dizer. Eu não espero ser o mais forte e nem o mais feliz. Não preciso de nenhum sorriso pra ser gentil... Não espero ficar sozinho para reconhecer o que tem ao meu redor, não só pessoas mais tudo em geral.
     E agora só por você eu consigo entender tudo tão melhor. Sei que nem tudo gira ao meu redor, nem tudo é como eu quero e nem vai ser. As vezes meu stress e todo o meu desmazelo invade outras pessoas que eu nem queria atentar, mas era inevitável. 
     Provavelmente quando tudo isso passar, eu conseguirei mostrar a mim mesmo, o quanto a evolução do ser é necessária e importante, e sem dúvida alguma a ajuda de quem estar ao redor é completamente fundamental, para mim. E ao olhar para trás verei, que tudo melhorou em mim, tudo melhorou graças ao que não era tão bom assim no início.