sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Agradeceria, se tu acreditasses.

          Esse é meu último post nesse blog, que sempre teve você como personagem principal aqui. Eu sei que você deve estar me odiando há quase um ano, guardando rancor, pensando em alguns momentos desagradáveis, hoje em dia. É. Tudo bem, eu não sei o que motivou todo aquele holocausto de brigas, discussões, inimizades e etc. Sei que o tempo passou, e eu já não penso em você, não guardo ódio ou rancor de tudo aquilo que aconteceu. Tudo está tão normal pra mim, que eu sinceramente não estou mais me importando. Eu sei que você ainda se importa e me agride de forma anônima explícita, mas eu realmente não ligo pra mas nada, não fico sem palavras, não sinto mais meu coração apertado, não escuto músicas e choro, não posso dizer que estou feliz, mas também não vou dizer que estou triste, pois estou ganhando toda uma "outra vida", várias outras pessoas que eu sei que se importam comigo. Mesmo que aconteça com elas, tudo o que aconteceu conosco, tudo bem, sempre terá alguém em que eu possa apoiar, sempre terá alguém pra me amparar, me dizer pra parar de chorar. E você... você não estará mas em minha vida.
          Não é por mim, que ainda estejamos brigados. Não estou dizendo que seja culpa sua, estou apenas enfatizando quantas vezes já pedi perdão pra você, em meio há tantas coisas irrelevantes pra mim, só pedia desculpa porque sabia que eram relevantes pra você, mas você, nunca se quer, quando me magoou me pediu desculpas, sempre me disse coisas bonitas, que me fazia acreditar em "suas desculpas" implícitas. 
          E eu acho que no dia 12/01/2011 foi o fim de tudo isso pra mim, eu abri uma foto sua, e pra mim, foi como uma pessoa simples, comum, desconhecida. Eu não consegui mostrar meus sentimentos por você naquele momento, da mesma maneira que não estou sentindo até hoje. Consegui perceber que não existe só você no mundo, consegui gostar de outra pessoa, consegui sorrir de verdade novamente, e "não é gargalhar com amigos", ou sorrir por fora e deixar o interior chorando, e sim, sorrir por completo.
          Eu acho que devemos sempre seguir nossas vidas agora, nunca esquecer o que passou, mas também não se relembrar todos os momentos, todas as brigas. Tudo isso pra mim agora é futilidade. E não sei porque, mas isso tudo está me animando muito, não escuto mas músicas e vario meu humor, ele continua da mesma maneira, eu não preciso mais de uma excessão, eu só preciso acreditar e nunca esquecer. 
          Se você chegar a ler esse post, que acho algo muito difícil, verás que não guardo rancor nenhum de você ou de tudo o que já me fez, não querendo ser o "coitadinho" da estória, pois sei que terás ódio de mim, por coisa que fiz, e principalmente que te falei. E sei, que tu poderás ver isso somente como um desabafo meu, mas deverias saber que tudo o que estou dizendo e postando aqui, é o que estou sentindo há dias.
          Então, está na hora de seguir em frente, parar com sentimentos que só trazem inutilidade atraso pra minha vida.
          A tua presença hoje em dia, deveras não é tão importante como antigamente, e agora todas lamentações que já tive,  todos os olhares de repúdio serão à tua voz ausente, pois porque mais que ninguém... agora eu dar-te-ei à minha ausência, e ficaremos pra sempre desse jeito.
         Então, Rodrigo, isso era tudo o que eu queria que você soubesse, e que você tome suas decisões enquanto à isso.