sexta-feira, 30 de abril de 2010

     Você poderia até não entender ao certo, o que eu estava sentindo... Ou apenas fingia que não estava entendendo, mais na verdade eu não esperei que você realmente entendesse, pois todo esse seu desmazelo te levava a crer que você tinha tudo, mas não é bem assim, na verdade você está sozinho da mesma maneira que eu me encontro ultimamente. Agora você realmente irá entender com toda eloqüência as palavras que direi aqui pela frente, pois sei bem que em toda essa sua superioridade, não tem a mínima ignorância. 
     É fácil se decepcionar com as pessoas, e seu sei muito bem disso, da mesma maneira que as pessoas sofrem a decepção, elas também as oferecem como um prato cheio, e não estou me referindo como metáfora. Quero que você comesse a entender que nem tudo pode ser do nosso jeito e que nem tudo que queremos conseguimos. A falta de compreensão do ser e toda falsidade que não vejo existentes aqui... são o que movem a decepção. Que pra mim já é algo bem compreensível. Eu não espero que todos me amem, e nem esperaria, pois amor demais é falsidade e tudo o que você demonstrava eu sei... não tinha ou pelo menos não aparentava o mínimo de falsidade.
      A perplexidade incomensurável do ser humano e toda a ignorância, não por não saber e sim por saber e mesmo assim fazer o que não deriva estar correto pra si, imagine ao próximo então. E então, por que me dizem que eu estou errado ao tentar dizer que nem tudo é felicidade ? Eu já disse e continuo com muita certeza disse, eu não acredito nenhum pouco em felicidade, mas sim em momentos felizes... que tem sido pouco ultimamente em minha vida, mas seria desprezível de minha parte fazer com que certos momentos, lugares e pessoas fossem despedaçados e jogados fora como um vidro ou algo quebrável qualquer... seria de comum acordo um tanto quanto ignorante de minha parte. Então... viver de momentos felizes deveria importar muito mais. E porque certas pessoas não aproveitam ? Cada qual tem sua maneira de aproveitar os seus dias, horas, momentos e etc... Mas tudo é muito problemático, inclusive a sociedade como um todo, todos tem problemas e nem por isso se auto-degradam. Tente entender que você pode sim resolver tudo em você e tudo em mim também.
     A tristeza tem tomado conta de todo o meu ser ultimamente, por mais que eu tente eu não consigo sorrir, não consigo me animar, em curtos períodos de tempo e com amigos, animação tem sido algo que eu vejo, muito pra eles e pouco pra mim. Porém agradeço muito à todos, mesmo não conseguindo me animar da forma como era antes. Eu não poderia falar abertamente aqui, sobre tudo que ocasiona a minha tristeza e mesmo se falasse ninguém teria paciência pra ler, mas posso citar algo principal: When I saw you. (Quando te vi). Quando eu vi aquele rosto e todo aquele sorriso, mesmo que não fosse necessariamente pra mim, logo menos encantei-me fechei-me em um mundo tão inadequado, no qual tenho ficado por horas, pensando. Meu ante-eu. Agora, às coisas estão tão difíceis e o animo que era algo rápido e fácil de ver em mim, como sorrisos que vião o tempo todo... não vêem mais e eu não sei se vão poder voltar a ver... Não nesse rosto triste e sozinho.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Dead memories in my heart.




Atualmente
meu mundo tem desabado, e eu tenho alegrado-me.
Problemas estavam atormentando minha cabeça. Eu nunca pude e nem poderia voltar, por nada e nem ninguém. Eu jamais diria que as memórias estavam mortas em meu coração, porém aprendi algo de importante valor pra mim: Nunca diga nunca.
Sabia que estava tudo prestes a acabar, já tinha uma rachadura em mim, e as minhas memórias estavam caindo através dela lentamente.
Minhas emoções que quase não existiam mais, começaram a ser trocadas por um contrato de confiança, no qual eu me arrependi amargamente de tê-lo assinado com você. Por que eu estava trocando meus sentimentos, se eles eram e são tão verdadeiros ? O único sentido real era... Meu outro 'eu' estava morto, sozinho, procurando por incógnitas infinitas.
Quando você disse pra tentar te amar, eu o fiz o máximo possível. Não por você... mais por mim, eu amarrei-me a um laço pequeno e indestrutível no qual eu teria que suportar até as memórias mortas em meu coração, renascerem. Então quando fui embora, eu apenas mantive em mim minhas cicatrizes e o meu outro eu, o qual guardava as memórias já mortas em seu coração se foi.
Olhando atentamente para meu coração eu percebi, que uma memória morta ainda estava muito viva dentro de mim. Só não sei aonde pertenço, mais "você" a minha memória mais viva do que nunca, continua aqui... juntamente com minhas cicatrizes que nunca irão sumir de mim.
Eu queria dentro do meu coração uma bússola, como honestidade... Assim eu encontraria-me para todo sempre, eu não me perderia e nem sumiriam minhas memórias mais uma vez.
Agora eu poderia sonhar novamente, eu guardo ainda minhas memórias em mim, não só no meu coração. Eu não tenho mais medo como antigamente, eu só desejaria uma longa, porém chuva suave, para eu navegar pelo meu único eu novamente. Lentamente chegaria ao ápice disso tudo... de uma forma ou de outra, nada é do jeito que queremos ou sonhamos de verdade, então... não posso iludir-me com tamanha conjunção de sentimentos que não são pra mim.
Segurado pelas mãos em uma leve chuva de domingo, minhas memórias escorrerão todas e foram embora com uma sincronização perfeita, sem enchorradas e só os pingos indo e dentro de cada um levando minhas memórias e meu coração.