sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Agradeceria, se tu acreditasses.

          Esse é meu último post nesse blog, que sempre teve você como personagem principal aqui. Eu sei que você deve estar me odiando há quase um ano, guardando rancor, pensando em alguns momentos desagradáveis, hoje em dia. É. Tudo bem, eu não sei o que motivou todo aquele holocausto de brigas, discussões, inimizades e etc. Sei que o tempo passou, e eu já não penso em você, não guardo ódio ou rancor de tudo aquilo que aconteceu. Tudo está tão normal pra mim, que eu sinceramente não estou mais me importando. Eu sei que você ainda se importa e me agride de forma anônima explícita, mas eu realmente não ligo pra mas nada, não fico sem palavras, não sinto mais meu coração apertado, não escuto músicas e choro, não posso dizer que estou feliz, mas também não vou dizer que estou triste, pois estou ganhando toda uma "outra vida", várias outras pessoas que eu sei que se importam comigo. Mesmo que aconteça com elas, tudo o que aconteceu conosco, tudo bem, sempre terá alguém em que eu possa apoiar, sempre terá alguém pra me amparar, me dizer pra parar de chorar. E você... você não estará mas em minha vida.
          Não é por mim, que ainda estejamos brigados. Não estou dizendo que seja culpa sua, estou apenas enfatizando quantas vezes já pedi perdão pra você, em meio há tantas coisas irrelevantes pra mim, só pedia desculpa porque sabia que eram relevantes pra você, mas você, nunca se quer, quando me magoou me pediu desculpas, sempre me disse coisas bonitas, que me fazia acreditar em "suas desculpas" implícitas. 
          E eu acho que no dia 12/01/2011 foi o fim de tudo isso pra mim, eu abri uma foto sua, e pra mim, foi como uma pessoa simples, comum, desconhecida. Eu não consegui mostrar meus sentimentos por você naquele momento, da mesma maneira que não estou sentindo até hoje. Consegui perceber que não existe só você no mundo, consegui gostar de outra pessoa, consegui sorrir de verdade novamente, e "não é gargalhar com amigos", ou sorrir por fora e deixar o interior chorando, e sim, sorrir por completo.
          Eu acho que devemos sempre seguir nossas vidas agora, nunca esquecer o que passou, mas também não se relembrar todos os momentos, todas as brigas. Tudo isso pra mim agora é futilidade. E não sei porque, mas isso tudo está me animando muito, não escuto mas músicas e vario meu humor, ele continua da mesma maneira, eu não preciso mais de uma excessão, eu só preciso acreditar e nunca esquecer. 
          Se você chegar a ler esse post, que acho algo muito difícil, verás que não guardo rancor nenhum de você ou de tudo o que já me fez, não querendo ser o "coitadinho" da estória, pois sei que terás ódio de mim, por coisa que fiz, e principalmente que te falei. E sei, que tu poderás ver isso somente como um desabafo meu, mas deverias saber que tudo o que estou dizendo e postando aqui, é o que estou sentindo há dias.
          Então, está na hora de seguir em frente, parar com sentimentos que só trazem inutilidade atraso pra minha vida.
          A tua presença hoje em dia, deveras não é tão importante como antigamente, e agora todas lamentações que já tive,  todos os olhares de repúdio serão à tua voz ausente, pois porque mais que ninguém... agora eu dar-te-ei à minha ausência, e ficaremos pra sempre desse jeito.
         Então, Rodrigo, isso era tudo o que eu queria que você soubesse, e que você tome suas decisões enquanto à isso.











domingo, 5 de setembro de 2010

Nem todo final, é um início de recomeço.

   Eu realmente não consigo entender... Como posso estar tão bem, se estou tão longe de você agora ?
Será que eu me enganei todo este tempo, e o que eu dizia sentir, era só um aglomerado de idéias hipotéticas da minha cabeça ?.
   Já disse que não sei nada sobre você, não sei nada sobre o amor. Não sei como faço pra senti-lo, sei bem que estou aqui agora, só não sei por onde estarei amanhã. E se é pra dizer que "te amo" eu direi, mesmo que isso não seja bom, ou verdadeiro, o que realmente importa agora, é ver todos felizes e sorrindo, e eu me corroendo por dentro querida.  Eu poderia chegar em casa esta manhã e abrir o meu coração pra você, poderia dizer tudo o que você gostaria de ouvir, e então você daria adeus a solidão, e se sentiria confortável mediante a mim, mais eu não o farei, não quero vê-la acomodar seu coração em mim, não quero parar de respirar por você, não quero desconfigurar o seu sorriso.
   Por que você custa tanto a entender ? (...) Eu somente sou alguém que machuca as pessoas profundamente, meu ódio está trancafiado em mim, e não quero que ninguém o veja de novo. Então porque você ainda insiste em amor ?
   Eu costumava entender as pessoas pelos seus sorrisos, mais com você tudo é tão diferente, eu não posso sentir a sua mente, eu não consigo ver a sua verdade, está tudo completamente bloqueado pra mim, pois só consigo me deparar com aqueles olhos sorrindo outra vez... e outra vez. E mesmo que seja difícil pra mim, depois eu não consigo me lembrar de nada, e tudo o que eu construí com você naquele momento não passam de memórias mortas no meu coração, na minha mente, no seu sorriso.
   Mesmo que você me veja como uma pessoa melhor, e seja criticada por isso, no fundo você sabe que está enganando a si mesma, e mesmo que eu tente me esforçar e mudar os meus hábitos, eu não consigo. Eu não consigo ter um coração de verdade, um coração que ame alguém por si próprio, sempre vão ter aqueles que acham que são donos de mim, e nunca serei feliz com ninguém, então, por que ainda consegue insistir em mim ?, Mesmo sabendo que eu não valho nada pra você, e que eu posso estar caindo em escuridão agora. Por que ?
   Você sabe bem que se pedisse por minha vida, eu a daria sem problemas, então porque ainda gosta de ver o meu coração sofrer ? (...) Eu sei que você diz que isso é apenas amor, mais eu não consigo ver nada de amor em você. Ou talvez eu possa estar mentindo pra não vê-la magoada por mim. Eu queria que você pudesse esperar pela minha compreensão alguma vez em sua vida, porque eu ainda estarei cantando músicas de demônios pra assustar crianças, eu ainda terei ódio, eu ainda matarei pessoas, e irei ao funeral ver a tristeza da família. Eu não estou querendo assustá-la, só estou querendo que se afaste de mim, porque tenho medo de admitir que estou criando um vínculo com você, e não quero vê-la morrer.
   Eu nunca disse que à amava, então por que pergunta se te larguei ?! Talvez se eu estivesse sentimentos você não me amaria, você não se sentiria forte, não teria um objetivo, não teria perseverança, não é mesmo ?
O que você vai ter que entender de uma forma ou de outra, é que... eu não estou mais aqui, eu não vou viver pra sempre, e conforme eu sorrio agora pra você, a faca que enfiei no meu estômago faz com que jorre sangue em você, e mesmo que você grite ou chame por socorro, sabe que não adianta, eu apenas fiz o que haveria ter feito há muito tempo, dei adeus a solidão.